Prefeitura e Sebrae apresentam propostas de desenvolvimento para Aracaju

O projeto foi apresentado nesta segunda, 05, e prevê um desenvolvimento econômico da capital sergipana nos próximos 35 anos.

Até 2055, Aracaju poderá ser referência em desenvolvimento econômico no Brasil. É o que se pretende com o Plano de Desenvolvimento Econômico de Aracaju (2020-2055), cujas propostas foram apresentadas nesta segunda-feira, 05, para entidades empresariais e instituições do poder público da capital sergipana.

As propostas foram construídas pela Prefeitura de Aracaju, através do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Aracaju (Comden), das Câmara Técnicas de Desenvolvimento Econômico, Educação, Ciências, Tecnologia e Inovação, com o apoio do Sebrae em Sergipe.

O Índice Sebrae de Desenvolvimento Econômico Local (ISDEL) foi um dos métodos utilizados para subsidiar a construção das propostas para o plano. Segundo o coordenador da Câmara de Desenvolvimento Econômico de Aracaju, Juliano Souto, foram coletadas informações de indicadores e levantadas as principais pistas de desenvolvimento.

“São propostas e alternativas que tiveram como referências as melhores práticas existentes no Brasil. Aracaju tem grandes fatores que se destacam, a exemplo dos indicadores de gestão pública muito bem estruturados. Essa iniciativa de longo prazo será muito importante para o futuro da nossa cidade”, afirma Souto.

Novos desafios

O superintendente do Sebrae/SE, Paulo do Eirado Dias Filho, explica que o intuito do Plano de Desenvolvimento é de gerar emprego e renda, melhorar a qualidade de vida da população e fomentar o ambiente empreendedor.

“A medida que tivermos empresas que prestem seus serviços e produtos com qualidade, elas também poderão estar habilitadas a trabalhar com grandes empresas, multinacionais e fazer parte de importantes cadeias produtivas. O Sebrae atuará para que essas propostas encontrem o caminho para se tornarem realidade”, analisa Paulo.

Segundo o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, a colaboração dos vários setores da sociedade, inclusive com a participação dos cidadãos comuns, será fundamental para a construção desse planejamento e para o alcance dos resultados esperados.

“Tudo isso é inovador, pois muitas vezes os poderes públicos fizeram seus planos dissociados da sociedade. Agora, teremos um caminho mais longo, porém mais democrático, participativo e transparente. Quando Aracaju completar seus 200 anos, em 2055, que ela esteja muito melhor entre as cidades do nosso país”, aposta o prefeito.

Clique aqui e acesse as propostas para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Econômico de Aracaju (2020-2055).