Sebrae discute empreendedorismo feminino na Alese

Superintendente destaca o protagonismo feminino no cenário empreendedor.

Segmentos da sociedade e representantes de instituições estiveram reunidos, na última quarta,10, em uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para tratar sobre a importância do incentivo ao empreendedorismo feminino. A sessão foi motivada por iniciativa da deputada estadual Maria Mendonça, que propôs um projeto de lei para a criação de políticas públicas nesse tema.

Na oportunidade, o superintendente do Sebrae/SE, Paulo do Eirado, falou sobre a importância da educação empreendedora e na criação de um ambiente mais favorável ao empreendedorismo, com melhor acesso ao crédito e menos burocracia.

“É preciso fazer com que os brasileiros tenham oportunidade de empreender com segurança. As mulheres já têm um grande impulso na direção de montar seus próprios negócios, gerar renda, conseguir administrar seus próprios horários de trabalho e a gente vê no empreendedorismo uma grande oportunidade para potencializar tudo isso”, explica o superintendente.

Protagonismo feminino

A deputada Maria Mendonça, que promoveu a sessão especial, acredita que debater o tema e encontrar mecanismos para fortalecer o protagonismo feminino é muito importante para o desenvolvimento do estado.

“Nós, mulheres, somos a maioria da população. Imagine todas sendo estimuladas a trabalhar esse caminho do empreendedorismo. Através desse projeto, nós queremos garantir qualidade de vida para as famílias através do despertar de cada uma, nessa possibilidade de empreender”, afirma.

A empreendedora e membro do Grupo Mulheres do Brasil, Sandra Almeida, reforça que a discussão do tema incentiva outras mulheres a buscar o empreendedorismo como forma de se tornar, cada vez mais, um agente de desenvolvimento social e econômico.

“É importante que os nossos agentes políticos estejam em parceria para que a consigamos retirar mulheres de estar às margens da sociedade. O incentivo à educação, ao financiamento, ao próprio empreendedorismo e empoderamento, sem dúvida, faz com que a gente se sinta mais ativa e visível perante à sociedade”, observa Sandra.

Além do Sebrae/SE, a sessão especial contou com a participação de outras instituições e entidades, a exemplo do Sesi, Senac, Acese, Banese, Fecomércio, Movimento Brasil 200, dentre outros, além de parlamentares e do público em geral.